Nossa missão é trazer projetos criativos ao mundo

Somos o ponto de encontro da maior comunidade de financiamento coletivo do Brasil.

Nascemos para incentivar a criatividade, a arte, o ativismo, a ciência e o empreendedorismo. Gostamos de projetos que trazem novas perspectivas, são disruptivos, geram diversidade e promovem debates saudáveis para a sociedade.

A comunidade em números

Muitos artistas, músicos, jornalistas, designers, pesquisadoras, gamers, cientistas, empreendedores, escritoras e ativistas encontraram na plataforma uma poderosa ferramenta para viabilizar financeiramente suas ações e projetos.

Pessoas já apoiaram pelo menos 1 projeto no Catarse
Foram direcionados a projetos publicados no Catarse
Projetos ja foram financiados em nossa plataforma
É mais sobre pessoas e menos sobre dinheiro.
 O Catarse não é uma loja. O Catarse é palco para uma comunidade de apoiadores e realizadores que transformam projetos em realidade. Aqui, pessoas constroem relações de confiança baseadas no desejo mútuo de fazer projetos acontecerem.
Nosso time
Somos um time remoto composto por 16 pessoas espalhadas pelo Brasil (e pelo mundo). Investimos nosso tempo construindo o Catarse e conectando pessoas e projetos incríveis.
Nossa história
Primeira plataforma de financiamento coletivo para projetos criativos no Brasil, o Catarse entrou no ar em 17 de janeiro de 2011. O manifesto de fundação diz que o site nasce de uma dor: ver gente brilhante com projetos engavetados.

Projetos dos mais simples aos mais requintados, dos mais lúcidos aos mais extravagantes, dos pequenos aos megalomaníacos, não saíam do papel por falta de recursos, por não terem sido autorizados pelos editais do governo ou por não terem patrocínio.

O Catarse veio para mudar esse cenário. Mostrar que é possível, com a união das pessoas, abrir novas vias para realizar projetos.
Desde então, milhares de músicos, cineastas, quadrinistas, gamers, designers, jornalistas pesquisadores, cientistas, empreendedores, ativistas e artistas utilizaram o Catarse para realizar suas ideias com a colaboração financeira direta de pessoas.

Em 2010, o modelo do crowdfunding começava a causar impacto no exterior e a ideia de trazê-lo para o Brasil amadurecia nas cabeças de cinco jovens espalhados pelo país.
Amigos na faculdade em São Paulo, os administradores recém-formados Diego Reeberg, de Paranavaí (PR), e Luis Otávio Ribeiro, de Uberaba (MG), procuravam um programador  para criar uma plataforma. Por amigos em comum, foram apresentados ao desenvolvedor Daniel Weinmann, de Porto Alegre, que trabalhava na mesma ideia. Em vez de se fecharem para não correr o risco de alguém copiar os seus planos, o grupo fez exatamente o oposto.

Juntos criaram o blog Crowdfunding Brasil e começaram discutir abertamente a ideia de criar um site de financiamento coletivo no país. Logo, chamaram a atenção dos irmãos Rodrigo Machado e Thiago Maia, um jornalista e um designer do Rio de Janeiro, que se preparavam para lançar a plataforma Multidão. De novembro de 2010 a março de 2011, testaram o mercado de diferentes formas, ainda trabalhando de forma separada, mas sempre em comunicação e conversando sobre a junção total dos grupos. Não havia outra maneira que não abraçar um caminho comum. Por fim, os cinco decidiram se juntar, unir esforços e recursos para desenvolver uma única plataforma, cujos valores, ideais, visão de futuro e missão foram inicialmente discutidos e alinhados em uma ensolarada tarde de conversas na praia de Grumari, no Rio de Janeiro.  O que foi fundado naquele dia foram os conjuntos de valores e ideiais que seriam perseguidos.  

Desde sua fundação, o Catarse vive intensamente a dinâmica da colaboração, do código aberto (open source) e um relacionamento humanizado com cada apoiador e realizador. Acreditamos que o financiamento coletivo é uma força a ser utilizada pela sociedade civil para se mobilizar e circular recursos de forma mais ágil e com menos riscos e burocracia do que métodos tradicionais. É uma atitude que reforça, afirma e propaga valores como independência, liberdade, coragem, autonomia, proximidade, transparência e afeto. Trabalhamos no longo prazo para construir um cultura de colaboração e causar impacto nas lógicas de produção da economia criativa e de diversas cadeias produtivas do Brasil.
Para a Imprensa
Se você está escrevendo sobre o Catarse ou cobrindo alguma campanha hospedada por aqui, confira essa página com nossos contatos, informações e arquivos para download.

“O Financiamento Coletivo é um modelo de economia colaborativa que tem tudo a ver com a história do Teatro Mágico. Desde a época da nossa primeira comunidade do Orkut tivemos o público como nossos parceiros, seja dando ideias de composições, sugerindo estampas de produtos da lojinha ou divulgando nossas apresentações no boca-a-boca. Nunca tivemos intermediários em nossa relação. O Financiamento Coletivo funciona sob a mesma lógica.”

Gustavo Anitelli, produtor do Teatro Mágico

Nos ajude a trazer projetos criativos ao mundo

Nesse momento, centenas de pessoas estão contribuindo para transformar em realidade diversos projetos no Catarse. Faça parte dessa comunidade, e contribua para que mais e mais pessoas vivam do que amam fazer.